Lidando com as provocações por ser cristão

28 de março de 2017   /   Categoria:   /   Escrito por: Pr. Filipe Rezende

 

Quantos de nós, cristãos, já tivemos o desprazer de sermos repudiados, hostilizados ou criticados por causa da nossa fé? A bíblia afirma que sempre que essas coisas acontecerem devemos nos alegrar no Senhor porque somos bem aventurados.

Podemos observar em nossos dias uma “conspiração social” contra a Igreja e tudo o que ela prega. As pessoas não estão apenas intolerantes, elas estão agressivas. Em alguns casos só de descobrir que o outro é um cristão já é motivo para algum tipo de rejeição e desprezo. Em muitos lugares só de andar portando uma bíblia já é motivo para ser ridicularizado. Por mais absurdo que possa parecer, é exatamente isto que alguns cristãos vivenciam quando chegam em determinados ambientes, como, por exemplo, a universidade.

Nossa reflexão hoje tem o propósito de encorajar os irmãos a permanecerem firmes na fé apesar de todas essas situações e, também, tem o propósito de desafiá-los a não reagir a essas provocações mesmo que estejam com a razão. Não podemos nos esquecer de que nossa luta não é contra a carne ou sangue, nossa verdadeira luta é espiritual. As pessoas são simplesmente instrumentos que podem ser usadas nas mãos de Deus ou do diabo.

Quando elas perseguem, ofendem e afrontam, o que está acontecendo é que essas pessoas se deixaram ser usadas pelo diabo, quando elas amam, perdoam, e exercem domínio próprio para o bem do próximo, elas se deixaram ser usadas por Deus. Quando estas pessoas se deixam ser usadas pelo diabo elas perseguem, ofendem e afrontam, quando elas se deixam ser usadas por Deus elas amam, perdoam e exercem o domínio próprio para o bem do próximo.

Entender essas coisas é fundamental para não perdermos o equilíbrio quando nosso “sangue ferver”.  Certa vez li em algum lugar a seguinte afirmação:  “A bíblia diz que há duas coisas que Deus não divide com ninguém: uma é a sua glória (Is42.8) e a outra é o seu direito de vingança. Ele diz: “Minha é a vingança; eu retribuirei” (Rm12.19).

Portanto  não assuma a autoridade Dele tentando acertar as contas com alguém; tire as mãos da situação e deixe que Ele a resolva. Pois se a justiça humana é comparada ao trapo de imundícia, a justiça divina ao contrario é perfeita, não tarda, nem falha. Ela chega no tempo certo e na medida certa para cumprir o que foi por Ele determinado.

Se o desafio parecer difícil no primeiro momento, vale lembrar que foi destinado aos filhos de Deus. E o Pai não pede nada aos seus filhos que eles não possam executar, pois Ele está conosco para fortalecer, encorajar e ajudar.

Que Deus abençoe!

Pr. Filipe Rezende, casado com Marcela e pai de Henrique, graduado em teologia pela FACETAN e Pós graduando em psicologia pastoral é pastor do Ministério de casais e famílias no PVN de Vilar dos Teles.

Notícias relacionadas