A importância de um homem bem posicionado

Um pai bem posicionado, que conhece bem o seu papel e assume suas responsabilidades, pode fazer grande diferença. O modelo de pai que nos é apresentado na mídia é totalmente deturpado

7 de julho de 2017   /   Categoria:   /   Escrito por: Pr. Cristiano Carvalho

 

Eles partiram de Betel, e quando ainda estavam a certa distância de Efrata, Raquel começou a dar à luz com grande dificuldade. E, enquanto padecia muito, tentando dar à luz,a parteira lhe disse: “Não tenha medo, pois você ainda terá outro menino”. Já ao ponto de sair-lhe a vida, quando estava morrendo, deu ao filho o nome de Benoni. Mas o pai deu-lhe o nome de Benjamim. (Gênesis 35.16-18)

Um pai bem posicionado, que conhece bem o seu papel e assume suas responsabilidades, pode fazer grande diferença. O modelo de pai que nos é apresentado na mídia é totalmente deturpado. Precisamos urgentemente recuperar o referencial bíblico de hombridade e paternidade.

O homem tem sido enxugado de seu papel, em grande parte devido aos ataques liderados por movimentos feministas radicais (que há muito tempo deixaram de lutar pela igualdade e passaram a reivindicar uma superioridade feminina). Para comprovar isso, basta observar a quantidade de manifestações afirmando que as mulheres não precisam dos homens. É comum encontrar mulheres afirmando que podem cuidar de si mesmas e declarando que os homens não fazem falta. Essas falácias degradam a convivência em sociedade, pois é óbvio que mulheres precisam dos homens, assim como os homens precisam das mulheres. Todos nós precisamos uns dos outros e a Bíblia afirma essa verdade ao longo de todas as suas narrativas.

Para mencionar apenas um exemplo dessa distorção da figura paterna vamos citar o seriado “Os Simpsons”, que está sendo transmitido ininterruptamente por 30 anos. O pai da família, Homer, é retratado como um bobalhão, um indivíduo burro, egoísta, que se mete constantemente em confusões das quais não consegue sair. Sua esposa, Marge, é inteligente e equilibrada e está sempre por perto para salvá-lo. Como se não bastasse sua inutilidade como marido, freqüentemente é mostrado apertando o pescoço de seu filho, Bart, além de, em muitas ocasiões, colocar a filha bebê, Maggie, em perigo por pura negligência. A arte imita a vida e as pessoas já se acostumaram com esse estereótipo masculino de despreocupação e irresponsabilidade. É interessante notar que o criador dos Simpsons, Matt Groening, batizou os pais dessa família com os nomes de seus pais e as duas meninas também receberam os nomes de suas irmãs mais novas. É fácil imaginar como foi sua vivência em família e de onde veio sua inspiração.

A postura assumida por Jacó no texto supracitado, (Gênesis 35.16-18),  vai na contra mão desse estereótipo fraco e omisso. Num momento de grande dor e angústia, Raquel batiza o próprio filho com um nome que era uma verdadeira sentença. Benoni significa “filho da minha dor”. Imagine o estrago emocional que esse nome provocaria numa criança. À medida que fosse crescendo, seria constantemente lembrado de sua “culpa” no falecimento da mãe. Numa atitude adequada à sua responsabilidade como pai,  aquele que deve dar proteção, provisão e direção, Jacó usa sua autoridade e batiza o menino de Benjamim (“filho da minha destra”). Esse nome expressa honra e força, dando ao filho um lembrete do quanto ele era amado e precioso.

Esse é o grande dilema da geração atual, onde crianças crescem sem um referencial para seguir e sem uma confirmação da própria identidade. Cabe a nós, homens, assumirmos essa postura e direcionarmos nossos filhos e filhas para um futuro de segurança e paz. Meus filhos sabem que são preciosos, que nasceram para a glória de Deus e que há um propósito divino para suas vidas. Têm sido ensinados constantemente sobre as posturas esperadas de um homem e de uma mulher de Deus. Quando vêm os ataques, eles têm mais elementos para usar em seu favor e resistir às propostas do mundo. Isso não significa que eles não errem, mas dá a eles a capacidade de discernir entre CERTO e ERRADO. Ou seja, quando eles erram, têm a consciência de que erraram, e isso torna mais fácil a possibilidade de conserto.

Não negligencie a responsabilidade que Deus lhe deu. Busque conhecimento e peça sabedoria ao Senhor para cumprir o seu papel. Pela minha experiência ministerial, eu posso garantir que grande parte dos problemas familiares seria evitada se o homem estivesse posicionado corretamente. Assuma o papel que Deus lhe deu e cuide da sua casa! Você vai colher frutos agradáveis no futuro. Mãos à obra!

É psicólogo clínico e pastor formado pelo Seminário Vida Nova (SVN). Membro da diretoria do CONAVIN é casado com a Pra. Marcele Carvalho e pai de Isaac e Isabella. É o presidente do PVN de Vilar dos Teles desde agosto de 2003.

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – O princípio das dores

Estudo XVI (28/05  e  02/06) Tema:  O princípio das dores Texto Bíblico: Mt 24.1-14 Objetivos: Identificar alguns sinais que mostram o “principio das dores”. Entender o estudo como uma palavra de preparação.     Introdução:        Nossos pensamentos não estão naquilo que é realmente importante. Estamos muito preocupados com as coisas dessa terra.… Leia mais

 

Culto de Missões – Pr. Cristiano Carvalho

No culto missionário deste domingo, o Pastor Cristiano trouxe uma palavra de reflexão tremenda para a Igreja com base na passagem de Marcos 2:1-12.  O texto relata um dia típico na vida de Jesus. A multidão sabia que Ele estava ali, e foram até ele. Há riqueza de informações neste texto e com base nele listaremos 5… Leia mais