Grupos Familiares – Quem somos nós?

Este estudo tem como objetivo identificarmos as características da identidade dos filhos de Deus e reconhecermos nosso papel no mundo.

26 de junho de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo XX  (25/06  e  30/06/18)
Tema:  Quem somos nós?  
Texto Bíblico:  I Pedro 2.9 e 10

Objetivos:

  • Identificar as características da identidade dos filhos de Deus.
  • Reconhecer nosso papel no mundo.
  •  

Introdução:

       Vivemos num período confuso onde as pessoas não tem sua identidade claramente definida. Nesses tempos virtuais é muito comum expor um perfil  que não é  verdadeiro, mostrar  um lado “bom” da vida, que na maioria da vezes não é real. Estamos nos adaptando a esse contexto, pois a vida vai nos levando aos moldes dos tempos atuais, fazendo com que nossa verdadeira identidade seja corrompida. A indefinição nos leva a momentos difíceis e complicados, onde a família está sendo bombardeada por uma sociedade enferma e cheia de pessoas que perderam sua identidade, até mesmo dentro da igreja.  No texto, o Ap. Pedro nos define como cristãos, define nossa identidade como “Cidadãos do Céu”. Quando temos um encontro com Cristo, nosso caráter, índole e identidade são definidos. A graça nos coloca em condição de filhos, a mesma qualificação de Jesus. Por sua graça temos uma identidade divina. Essa identidade  faz com que tenhamos as seguintes características: 

 

  • ELEITOS

            Somos chamados de “geração eleita”. O apóstolo Pedro enfatiza que os cristãos são a geração eleita, isto significa que Deus nos delegou  autoridade. Pedro mostra que pertencemos a um povo eleito pelo próprio Deus. Por seu amor e sua graça fomos escolhidos  para sermos a sua Igreja. Qualquer crise de identidade pode ser resolvida com as palavras de Jesus: “Não fostes vós que me escolhestes a mim; ao contrário, eu vos escolhi a vós outros” (Jo 15.16).

 

  • SACERDÓCIO REAL

Somos aqueles que levam as pessoas a Deus. O Ap. Pedro utiliza aqui o conceito de sacerdócio real presente no livro de Êxodo, o qual através de Moisés, Deus disse a Israel: “Vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa” (Ex 19.6). Israel fracassou nessa missão, apostatando e rejeitando o Messias. Mas todos os que creem em Jesus como o Filho de Deus, o Salvador enviado ao mundo, recebem o privilégio de serem sacerdotes reais. O sacerdote tem a função de trazer a resposta de Deus para as pessoas.  Essa é uma das características da nossa identidade. Se somos sacerdotes, nossa família deve ser agente de transformação nesse mundo. Nossa família é sacerdotal. Os textos  de Ef 5.22-33 e 6.1-4  nos mostram  quem somos em nosso lar: MULHER (Submissão), MARIDO (Sacerdote, aquele que conduz a família à presença de Deus), PAIS (Aqueles que não irritam seus filhos), FILHOS(Aqueles que obedecem e honram seus pais). Quando entendemos nossa identidade, compreendemos também a identidade de nossa família. 

 

  • NAÇÃO SANTA

    Isso significa que somos separados para servir a Deus, e essa é a nossa real ocupação.  No texto, o Ap. Pedro nos mostra que somos chamados de santos, pois temos acesso ao Pai através  da ação da cruz, que nos lavou de todo pecado, e da  sua graça, favor imerecido. Mesmo quando cometemos erros, não deixamos de ser amados do Pai. Ele nos chamou para sermos nação santa. Santidade é uma característica da nossa identidade. Fomos escolhidos por Deus para a salvação e santificação.

 

  • POVO EXCLUSIVO DE DEUS

O texto coloca ênfase no fato de que somos exclusivos dEle. Isso significa que Ele não nos divide com ninguém, somos só dEle. No versículo 9 há uma expressão grega que transmite uma ideia de “preservação”, seria algo como “eu preservo para mim”, no sentido de uma ação contínua de tomar posse daquilo que é seu. Somos valiosos porque pertencemos a Ele. Assim como num contrato  exclusivo de casamento, somos povo exclusivo de Deus. Temos que viver para Ele, fazer Sua vontade todos os dias, em todo tempo.

 

 Conclusão: 

No texto, o apóstolo Pedro respondeu à pergunta sobre quem nós somos, mas ele também fala sobre a missão que temos, sobre nosso papel no mundo. Nossa missão é anunciar as grandezas daquele que nos salvou. Isso significa que temos que proclamar os feitos, o poder, a glória, a sabedoria, a graça, a misericórdia, o amor e a santidade de Deus. Através de nossa conduta e palavras, devemos testemunhar que somos filhos de Deus, somos da luz e não mais das trevas, pois Ele nos chamou para essa posição privilegiada. Quando entendemos nossa identidade, ajustamos nossa vida àquilo que vem de Deus e aos atributos que isso traz. Somos povo de Deus e vivemos para Ele. Somos os instrumentos que o Senhor quer usar para nossa nação. Somos filhos de Deus e quando reconhecemos essa paternidade, saímos das trevas para  Sua maravilhosa luz. Assim, assumimos nossa identidade espiritual e nos posicionamos como servos e filhos do Altíssimo.

   Interação:

  • O que tem te  impedido de cumprir a sua missão, o seu chamado, o propósito pelo qual você foi chamado?
  • Será que Cristo está sendo revelado através de sua vida (de sua identidade)? 

Bibliografia: Palavra ministrada pelo Pr Fábio no culto da família na manhã de  24/06/18.
Arquivo PDF para Download: Estudo GF XX – 25 a 30 de Junho

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Viver em Santidade

Estudo XVI – (20 a 25/05/19)  Tema: Viver em Santidade Texto Bíblico: I Pedro 1. 15 e 16 Objetivos : Conduzir o cristão a uma reflexão sobre a santidade. Entender a santificação na vida prática.   Introdução: A Palavra do Senhor nos exorta a viver em santidade. No texto de I Pedro 1 há conselhos práticos  para a… Leia mais