Grupos Familiares – Os campos já estão brancos para a ceifa

Este estudo tem como objetivo entendermos a missão de pregar o evangelho e reconhecermos a urgência da colheita.

18 de junho de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo XIX  (18/06  e  23/06/18)
Tema:  Os campos já estão brancos para  a ceifa.  
Texto Bíblico: João 4.35

Objetivos:

  • Entender  a missão de pregar o evangelho.
  • Reconhecer a urgência da colheita.

Introdução:

       É um privilégio, uma alegria poder estar na casa do Senhor, sentir Sua presença, ter comunhão com os irmãos. É comum nos concentrarmos no que é bom para nós mesmos, naquilo que gostamos e amamos. Porém, no reino de Deus, temos que nos importar com aquilo que agrada a Deus e abençoa ao próximo. O que é importante para Jesus? O que agrada a Deus? Temos uma missão aqui na terra e cumpri-la é necessário para alegrarmos ao Senhor.  O texto fala sobre coisas espirituais, mostra uma situação próxima à colheita. Jesus  pede para seus discípulos olharem para os campos, Ele fala do tempo da ceifa, mas não se referindo a uma colheita literal. Em vez disso, está aproveitando a ocasião para ensinar aos seus discípulos sobre a colheita espiritual, uma colheita de vidas. O Senhor se refere a um campo branco que precisa de trabalhadores, isso aponta para a missão da igreja de levar as pessoas a  conhecer o “Pão da vida”. Essa é a vontade de Jesus: Que cumpramos a missão do IDE, levando as boas novas do evangelho da salvação.  Esse estudo nos mostra a importância de:

 

Estarmos prontos para a missão (Jo 4.1- 30)

        Enquanto os discípulos entravam na cidade, Jesus ficou para trás próximo a um poço. Sem se importar com a cultura de não ser conveniente um homem conversar com uma mulher, e nem judeus com samaritanos, Ele  teve um diálogo com a mulher samaritana, falou de verdades espirituais a ela. A mulher logo entendeu a importância de seus ensinamentos. Nesse encontro que teve com Jesus,  ela se deparou com a verdade que mudou a sua vida. Jesus lhe disse: “Eu sou o Messias! Eu, que estou falando com você“ (Jo 4:26). Ao entender sobre adoração e reconhecer quem falava ali com ela, a mulher samaritana deixou de se importar com as coisas materiais para fazer o que era eterno. Ela foi rapidamente contar às pessoas as coisas maravilhosas que  tinha aprendido. Ela foi impulsionada pelo poder da palavra de Cristo a testemunhar dele  aos seus conterrâneos. O relato dela despertou grande interesse, e muitos foram depressa até o poço para encontrar Jesus. Possivelmente foi nesse momento, enquanto Jesus olhava para os campos a certa distância e via uma multidão de samaritanos se aproximando, que Ele disse aos seus discípulos: “Observai os campos, que estão brancos para a colheita”, se referindo a uma colheita espiritual, não literal.  Assim como aquela mulher, um dia tivemos um encontro com Jesus, que mudou nossa vida. Portanto, temos que valorizar as coisas que são eternas e que agradam a Deus.  Devemos estar prontos para fazer a vontade do Pai. Vencer a cultura, o preconceito, as barreiras e levar a verdade que mudou nossa história aos que ainda não conhecem. Praticarmos a missão que nos foi dada por Ele!

 

Reconhecermos a urgência da colheita (4.35)

     Jesus tinha absoluta certeza de que além daquela mulher, muitos outros samaritanos creriam nele. Por isso, ele lembrou aos discípulos: Não dizeis que ainda há quatro meses até a colheita? (Jo 4:35a). Os discípulos estavam dizendo isso. Era dezembro e a ceifa, nessa região, acontecia em abril ou começo de maio.  Eles, não estavam errados, cientificamente falando. Afinal, a colheita não pode ser realizada imediatamente após a semeadura. Mas Cristo lança mão desse fato para expressar uma verdade acerca da colheita espiritual:  Ela é urgente! “Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão brancos para a colheita”. O que Jesus quis dizer com essas palavras é que, apesar da colheita de grãos estar ainda distante (quatro meses), a colheita de almas já poderia ser feita.  Não havia tempo a perder. Na agenda de Jesus, é necessário que o evangelho seja pregado. Na epístola de Paulo a Timóteo, ele disse  “Que pregues a palavra a tempo e fora de tempo…” (II Tm 4.2). Vivemos a urgência da pregação do evangelho, os dias são maus. Os campos estão brancos para a colheita!

 

Conclusão: 

        É uma benção estar na casa do Senhor em adoração e comunhão, temos prazer nisso e Deus se agrada! É importante colocarmos para o Senhor as nossas necessidades e buscarmos respostas Dele. Contudo, Ele nos chamou para sermos a “resposta” de alguém. A palavra de Deus  nos convoca à ceifa, e a colheita não pode atrasar. Ela é urgente! Temos uma missão onde estamos plantados: Na família, no trabalho, na escola, na faculdade, no bairro em que moramos… ali é o nosso campo e eles já estão brancos. Temos que falar sobre o verdadeiro Messias, o único que pode mudar histórias. O que é importante para Jesus e agrada a Deus é que façamos Sua vontade. E essa é que sejamos obedientes ao IDE.  “Envie trabalhadores para a seara”  (Mt 9.38). Somos enviados para fazer a Sua obra.

 

Interação:

  • Você tem aproveitado as oportunidades para pregar a palavra de Deus nos seus locais de convivência (trabalho, vizinhança, escola, faculdade, curso, etc)?
  • Nos últimos anos, quantas vidas você “ganhou” para Jesus? 

Bibliografia: Palavra ministrada pelo Pr. Cristiano Carvalho no culto da manhã em  17/06/18.
Arquivo PDF para download: Estudo GF XIX – 18 a 23 de Junho
+ Veja também nossa galeria de fotos de todos os cultos e eventos da nossa igreja

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Deus toma posse do Templo

Estudo: VIII – (18 a 22/03/19) Tema: Deus toma posse do templo Texto Bíblico: II Crônicas 5.11 Objetivos : Refletir sobre a importância da santificação e do servir a Deus no templo. Promover a unidade do corpo e reconhecer que ela é necessária  para atrair a presença do Altíssimo.                … Leia mais