Grupos Familiares – O caráter da autoridade delegada: Benevolência

Este estudo tem como objetivo reconhecermos a benevolência como característica do caráter e aprendermos com a atitude e reação de Moisés diante de ataques

12 de fevereiro de 2019   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo V (11 a 16/02/19)
Tema: O caráter da autoridade delegada: benevolência
Texto Bíblico: Números 16:1-3

 

Objetivos:

  • Reconhecer a benevolência como característica do caráter.
  • Aprender com a atitude e reação de Moisés diante de ataques.

 

Introdução:

Caráter revela quem a pessoa é através de palavras e atitudes diante dos confrontos com a realidade da vida, na família, profissão, ministério etc. Não houve nenhuma rebelião da parte dos Israelitas mais seria do que a registrada em Nm 16. O líder da rebelião foi Corá, bisneto de Levi, em conspiração com Datã e Abirão, da tribo de Ruben (primogênito de Jacó) apoiados por 250 líderes da congregação (pessoas revestidas de autoridade). Reuniram-se e com palavras fortes atacaram Moisés e Arão (v. 3). Neste estudo observaremos com atenção: A posição e a atitude pessoal de Moisés.  A  reação dele diante dos ataques a ele e ao seu ministério.

 

1º – Nenhum espírito de julgamento

A primeira reação de Moisés foi esta: Prostrou-se rosto em terra (fervorosa oração, súplica – v.4). Essa atitude em particular é a que todo servo de Deus deve tomar antes de agir. O povo estava nervoso e muitos falavam, reclamavam, questionavam,  fofocavam. Reivindicavam o sacerdócio (liderança – v.10), pois a tarefa deles se restringia ao serviço do tabernáculo (v. 9) e queriam tirar Moisés da liderança sobre Israel (v. 13). Moisés se prostrou, pois conhecia autoridade e não se atreveu a dizer algo de si mesmo, cria que o Senhor faria julgamento. Moisés exortou Corá para restaurá-lo (v. 11). Exortar não é uma expressão de autoridade, mas de mansidão. Diante de ataques devemos buscar a exortação para persuadir ao caminho certo, assim estaremos agindo com benevolência. Do contrário, permitiremos que a pessoa fique no erro. A vontade de Deus é que haja restauração.

 

2º – Intercessão e expiação

Houve julgamento de Deus sobre os rebeldes e embora toda a congregação de Israel testemunhasse este julgamento (a terra se abrindo e engolindo as famílias rebeldes – vv. 31 e 32) e tivessem fugido aterrorizados, era apenas medo do castigo, não se tratava de temor de Deus. Falharam em compreender Moisés (autoridade delegada), foi um ato de Deus e, no dia seguinte (v.41), rebelaram-se de novo. E o crente hoje entende que uma ação ou tratamento de Deus ainda acontece em nossos dias? Embora estejamos na graça o que o homem semear ele colherá (Gl 6:7). Moisés sabia que consequências trágicas poderiam advir ao povo e ainda esperava que Deus fosse gracioso em perdoar e Deus perdoou (v. 46). O incensário aponta para intercessão e o sangue aponta para a expiação e purificação.

 

Conclusão:

Humanamente falando, Moisés deveria ficar zangado com o ataque e poderia dizer: “Por que não murmuraram contra Deus, e sim contra ele, a autoridade delegada de Deus?”, mas a reação de Deus foi mais rápida aparecendo para julgar a rebelião. Uma pessoa que só se importa consigo mesma e que geralmente se queixa da responsabilidade que tem pelos outros não serve para representar autoridade,o modo como reage mostra o tipo de caráter que tem, só pensa em salvar a aparência e é demasiadamente sensível à crítica. Moisés era fiel em toda a casa de Deus. Se Israel sofresse, ele sofria junto em vez de se alegrar com esse sofrimento. Embora muitas vezes fosse rejeitado e desprezado por alguns, ele intercedia por eles.

Concluímos que o caráter da autoridade delegada tem que ser benevolente: Ter afeto e estima pelo povo sendo fiel em toda casa de Deus. Não ser precipitado em julgar e, quando exortar, que seja a fim de trazer restauração.

 

Interação:

  • Diante de ataques, como você tem reagido, sendo uma autoridade em alguma esfera da vida?
  • O que você aprendeu sobre ser benevolente?

 

Bibliografia:

 *Nee.Wathmam .Autoridade Espiritual 
   Tradução Yolanda M.Krievim
 *4 Ed/S.Paulo:Ed Vida 2009
 *A Biblia Sagrada RA
 *2 Ed/S.Psulo. SBB
Estudo elaborado pelo Dc. Newton Lopes
Arquivo PDF para download: Estudo GF V – 11 a 16 fevereiro 2019

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Reciclando a minha dor

Estudo:   V-   ( 18 a  22/02/19) Tema:   Reciclando a minha dor. Texto Bíblico:   II Corintios 1. 3 e 4   Objetivos : Compreender que nas dores e tribulações, o consolo do Senhor se manifesta a nós. Discernir que as lutas servem para produzir crescimento para nós e benefícios  para o nosso… Leia mais

 

Grupos Familiares – Não deixe de congregar

Estudo IV (04 a 09/02/19) Tema: Não deixe de congregar. Texto Bíblico: Atos 2.46 e 47 – Atos 5.42 Objetivos: Entender a importância da comunhão entre os irmãos. Reconhecer a necessidade de congregar.   Introdução: Não é de hoje que algumas pessoas consideram que participar do culto é algo desnecessário, ficam semanas sem participar da comunhão e ajuntamento… Leia mais