Grupos Familiares – Não deixe de congregar

Este estudo tem como objetivo entendermos a importância da comunhão entre os irmãos e reconhecermos a necessidade de congregarmos

4 de fevereiro de 2019   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo IV (04 a 09/02/19)
Tema: Não deixe de congregar.
Texto Bíblico: Atos 2.46 e 47 – Atos 5.42

Objetivos:

  • Entender a importância da comunhão entre os irmãos.
  • Reconhecer a necessidade de congregar.

 

Introdução:

Não é de hoje que algumas pessoas consideram que participar do culto é algo desnecessário, ficam semanas sem participar da comunhão e ajuntamento do corpo. Mas isso não é o padrão bíblico para o cristão.  O corpo de Cristo tem que ter prazer em estar junto, somos parte desse corpo, precisamos estar em comunhão. Membro fora do corpo morre. A igreja é ajuntamento, é no templo e nas casas. Nós somos a igreja, temos que estar juntos.  Esse é o padrão apostólico. “Se reuniam todos os dias, no pátio, no templo, repartiam o pão em casas…” (At 2.44). Este estudo nos mostra porque devemos congregar:

 

1º – Graça individual / Graça coletiva

Jesus nos ensinou a orar em secreto, é necessário termos relacionamento pessoal e intimidade com Ele. “Quando orardes, entra no teu quarto, fecha a porta e ora em secreto…” (Mt 6.6). Assim experimentamos Sua graça individualmente. Mas Ele também nos ensinou a importância de orar em coletivo, com os outros, pois ambos cumprem propósitos. A importância de termos o nosso “a sós” com Deus não anula a necessidade de estarmos junto com os outros em oração e comunhão.

 

2º – Não há igreja sem comunhão (Hb  10.24 e 25)

No Novo Testamento lemos “Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros…”.  Desde o AT a Bíblia nos ensina sobre a importância de estarmos juntos, o povo se reunia na tenda da comunhão.  Somos templo do Espirito Santo e parte da igreja onde Cristo é o cabeça. Precisamos  estar em comunhão uns com os outros. Ninguém seja arrogante pensando não precisar do próximo, pois nosso Criador nos fez seres de relacionamentos, e quando há respeito, trocas, regras, vai haver crescimento e frutos. É na comunhão da igreja que vivemos as maiores experiências com Ele.

 

3º – O corpo se expressa junto (Dt 32.30)

Há algo muito especial no ajuntamento. A benção é liberada para nós. No ajuntamento, Deus manifesta o Seu poder.  “Um persegue mil e dois fazem fugir dez mil”. Como não se espantar? Logo, Ele está dizendo que dá poder e força ao seu povo, mas isto não é tudo, ainda o vemos dizer: “O Senhor vos aumente mil vezes o que
sois”. Quando estamos reunidos como igreja (ajuntamento/reunião), o Senhor manifesta Sua glória e Seu poder.

 

4º – Jesus vai estar entre nós (Mt 18.20 e Mt 28.20)

O texto deixa claro a diferença de Deus estar em nós e estar entre nós, ser templo do Espirito Santo não anula a necessidade de estarmos com os outros. Quando Ele está entre nós Ele nos ouve, nos sara, nos cura. A presença do Senhor se manifesta na reunião dos santos. A igreja é parte essencial das nossas vidas. “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali eu estarei”. Quando estamos juntos, a presença de Jesus é garantida. Nossas orações são ouvidas, a benção é liberada.    

 

5º – Na reunião lavamos os pés uns dos outros (Jo 13.5-10)

 Jesus nos ensinou que precisamos uns dos outros. A poeira dos pés simboliza o pecado, a contaminação, nossa natureza humana. À medida que caminhamos, a poeira se apega aos nossos pés.  Mas quando estamos juntos, congregando, um cuida do outro, ajuda o outro em sua fraqueza e a vencer o pecado. Na congregação há renovo. Jesus podia sozinho cumprir o propósito da salvação, mas ele precisava de outros para lavar os pés, nos ensinando sobre a humildade e sobre a importância de estarmos reunidos, cuidando uns dos outros. Quando estamos juntos reunidos em comunhão, o Senhor está conosco.

 

Conclusão:

Concluímos que temos que ter prazer na comunhão, nunca podemos deixar de congregar. Quando estamos juntos, a benção é liberada. Na unidade há crescimento. Por isso, o inimigo trabalha para nos separar, mas o Senhor nos chama para sermos UM.  A vontade de dEle é que a comunhão entre nós nunca seja rompida. Ninguém cresce em comunhão estando só. Sozinho não há comunhão.  Busquemos em Deus a força necessária para que nunca deixemos de congregar, pelo contrário, sintamos sempre alegria e prazer em estar na companhia de irmãos que seguirão conosco para a eternidade. Cada reunião da igreja é uma expressão de culto, de adoração. Estes momentos nos lavam espiritualmente, nos curam, nos libertam e nos consolam.

 

Interação:

  • Como parte do corpo de Cristo, comente sobre a importância do ajuntamento da congregação . 
  • Compartilhe uma experiência onde você foi abençoado por alguém na comunhão da congregação.

 

Bibliografia:

Palavra ministrada pelo Pr. Cristiano Carvalho na Santa Ceia da manhã  de domingo no dia  03 /02/19.
Estudo elaborado pela Dcª Silvia França.
Arquivo PDF para download: Estudo GF IV- Semana 04 a 09 de fevereiro

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Os interceptores do avivamento dentro de casa.

Estudo XV – (Semana 24  a 29 de Junho de 2019) Tema: Os interceptores do avivamento dentro de casa. Texto Bíblico: II Reis 4.8-27 Objetivos : Identificar algumas patologias relacionais que impedem o avivamento na família. Reconhecer que nossas atitudes/ações devem  promover o avivamento dentro de casa. Introdução: A maior necessidade da nossa casa não é a conversão de… Leia mais

 

Grupos Familiares – Autoridade Espiritual

Estudo XIV – (Semana 10  a 014 de Junho/19)  Tema: Autoridade Espiritual Texto Bíblico: Jó – 17:19 Objetivos : Entender a importância da santidade na autoridade. Compreender que é também em prol dos outros que devemos nos santificar. Introdução: Um pai ou uma mãe estão dispostos a se santificar pelos filhos. Um líder esta disposto a santificar se pelos… Leia mais