Grupos familiares – As manifestações da rebeldia no homem

11 de setembro de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: keysaints

 

Autoridade Espiritual
Estudo XXX (10 a 15/09/18)
Tema: As manifestações da rebeldia no homem
Texto Bíblico: Romanos 13.5

 

Objetivos:

  • Apontar as formas de rebeldia no homem.
  • Compreender como essas formas se manifestam.

 

Introdução:

A Bíblia diz que o coração do homem é enganoso (Jr 17.9). Ele é o que se deve guardar e proteger porque sua natureza foi corrompida. É comum as pessoas dizerem “Ouçam seu coração” ou “Siga o seu coração”. São frases que trazem um conselho ou mostram um caminho, mas, no entanto, Deus mostra exatamente o contrário, Ez 36.26 diz que Ele nos dará um coração novo, de carne, e tirará o de pedra. Este estudo nos mostra as formas em que se manifestam a rebeldia no homem.

 

1º – Através de palavras

O Senhor Jesus declara em Mt 12.34 que a boca fala do que está cheio o coração. Apenas ouvir uma mensagem sobre obediência não é eficaz para quem tem um coração rebelde, pois não podemos solucionar o problema do coração trocando de vocabulário, por isso Jesus os chamou de raça de víboras. Através da palavra se manifesta rebeldia à autoridade de Deus, seja ao próprio Deus ou às suas autoridades delegadas. Eva foi rebelde através de palavras, alterando o que Deus tinha falado a respeito do fruto proibido (Gn 3). Assim, também, Corá e seu grupo através de palavras atacaram a Moisés (Nm 16). Esses exemplos são diferentes de Paulo (At 23.1-5): Quando ele foi julgado pelo concílio falou como profeta ao sumo sacerdote, dizendo: “Deus te ferirá, parede branqueada!”. Mas tão logo foi informado que Ananias era o sumo sacerdote, voltou atrás, dizendo: “Irmãos, eu não sabia que ele era sumo sacerdote, pois está escrito: Não fale mal de uma autoridade do seu povo!”. Que cuidado Paulo teve com suas palavras! Quem é submisso à autoridade certamente controla a própria boca, não ousa falar “livremente”.

 

2º – Através da “razão”

A razão está ligada diretamente ao raciocínio e ela é a primeira causa da rebeldia. O raciocínio de Corá, Datã e Abirão (Nm 16) foi “A assembleia é toda santa e cada um deles é santo, e o Senhor está no meio deles. Então, porque você se coloca acima da assembleia do Senhor? E mais, você não nos levou a uma terra onde mana leite e mel, nem nos deu uma herança de campos e vinhas. Você pensa que pode cegar os olhos desses homens?” O que eles estavam dizendo é que seus olhos precisavam ver para crer, para então aceitar a autoridade de Moisés. Quanto mais eles raciocinavam, mais “razões” tinham para desconfiar de Moisés e de sua autoridade. Seguir ao Senhor exige libertação da “razão”, em Atos 9 Paulo ficou cego sob a luz na estrada de Damasco e deixou de se guiar pela razão; o que passou a importar para ele era obedecer e não ter “razão”. Se queremos conhecer o Senhor, é por meio da obediência, não há possibilidade de vivermos por meio da obediência e da “razão”, pois o Senhor não fica dando explicação da Sua vontade.

 

3º – Através do pensamento

Uma das mais importantes passagens da Bíblia é II Co 10.4 6 porque nesses versículos destaca-se a área da vida do homem na qual se exige obediência a Cristo: “Levamos cativo todo pensamento para torna-lo obediente a Cristo”. Isso dá a entender que a rebeldia do homem se encontra no pensamento. É natural que o homem tenha numerosos pensamentos, todos fortalecidos com muita argumentação. Mas chega o dia em que a autoridade de Deus derruba todas as fortalezas de argumentação e isto é uma batalha, pois Satanás tenta nos escravizar a fim de que sejamos questionadores e que nosso pensamento não seja livre para obedecer a Deus.

 

Conclusão:

Quando Deus age, Ele não tem nenhuma obrigação de nos contar os motivos, não precisa consultar ninguém, nem buscar aprovação. Seus motivos são mais altos que os nossos. E todos os que conhecem Deus, obedecem a Ele sem qualquer argumentação. Concluímos que o homem que não reconhece autoridade manifesta sua rebeldia não apenas em palavras, mas também na sua razão e pensamento. Vimos isso como exemplo em Eva e Corá com seus seguidores. Somos seres criados por Deus, vamos ficar nos atrevendo a lhe responder com nossas palavras, razões humanas e pensamentos limitados? Ou vamos entender que Deus exige em toda a Bíblia a obediência e, consequentemente, ter as Suas promessas cumpridas em nossas vidas?

 

Interação:

“A boca fala do que o coração está cheio”. Quais têm sido as suas palavras?
O que devemos fazer quando as “razões” humanas tomam conta de nossos pensamentos?

 

Bibliografia:

Nee, WATCHMAN- Autoridade Espiritual. Tradução Yolanda M. KRIEVIM.
4 Ed./ São Paulo : Ed Vida 2009.
A Bíblia Sagrada Revista e Atualizada
2 Ed./São Paulo. Sociedade Bíblica do Brasil

Estudo elaborado pelo Dc. Newton Lopes

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Revelação: A principal credencial para delegação de autoridade

Estudo XLI – (04/12 – 08/12) Tema: A principal credencial para delegação de autoridade:Revelação Texto Bíblico: Números 12:1-9 Objetivos: Entender que quem é uma autoridade delegada por Deus não deve dar ouvidos a palavras caluniosas. Ter como revelação que a autoridade que está sobre ele é para representar a autoridade de Deus.   Introdução: No Antigo Testamento,nenhuma autoridade… Leia mais