Grupos familiares – As manifestações da rebeldia no homem

11 de setembro de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: keysaints

 

Autoridade Espiritual
Estudo XXX (10 a 15/09/18)
Tema: As manifestações da rebeldia no homem
Texto Bíblico: Romanos 13.5

 

Objetivos:

  • Apontar as formas de rebeldia no homem.
  • Compreender como essas formas se manifestam.

 

Introdução:

A Bíblia diz que o coração do homem é enganoso (Jr 17.9). Ele é o que se deve guardar e proteger porque sua natureza foi corrompida. É comum as pessoas dizerem “Ouçam seu coração” ou “Siga o seu coração”. São frases que trazem um conselho ou mostram um caminho, mas, no entanto, Deus mostra exatamente o contrário, Ez 36.26 diz que Ele nos dará um coração novo, de carne, e tirará o de pedra. Este estudo nos mostra as formas em que se manifestam a rebeldia no homem.

 

1º – Através de palavras

O Senhor Jesus declara em Mt 12.34 que a boca fala do que está cheio o coração. Apenas ouvir uma mensagem sobre obediência não é eficaz para quem tem um coração rebelde, pois não podemos solucionar o problema do coração trocando de vocabulário, por isso Jesus os chamou de raça de víboras. Através da palavra se manifesta rebeldia à autoridade de Deus, seja ao próprio Deus ou às suas autoridades delegadas. Eva foi rebelde através de palavras, alterando o que Deus tinha falado a respeito do fruto proibido (Gn 3). Assim, também, Corá e seu grupo através de palavras atacaram a Moisés (Nm 16). Esses exemplos são diferentes de Paulo (At 23.1-5): Quando ele foi julgado pelo concílio falou como profeta ao sumo sacerdote, dizendo: “Deus te ferirá, parede branqueada!”. Mas tão logo foi informado que Ananias era o sumo sacerdote, voltou atrás, dizendo: “Irmãos, eu não sabia que ele era sumo sacerdote, pois está escrito: Não fale mal de uma autoridade do seu povo!”. Que cuidado Paulo teve com suas palavras! Quem é submisso à autoridade certamente controla a própria boca, não ousa falar “livremente”.

 

2º – Através da “razão”

A razão está ligada diretamente ao raciocínio e ela é a primeira causa da rebeldia. O raciocínio de Corá, Datã e Abirão (Nm 16) foi “A assembleia é toda santa e cada um deles é santo, e o Senhor está no meio deles. Então, porque você se coloca acima da assembleia do Senhor? E mais, você não nos levou a uma terra onde mana leite e mel, nem nos deu uma herança de campos e vinhas. Você pensa que pode cegar os olhos desses homens?” O que eles estavam dizendo é que seus olhos precisavam ver para crer, para então aceitar a autoridade de Moisés. Quanto mais eles raciocinavam, mais “razões” tinham para desconfiar de Moisés e de sua autoridade. Seguir ao Senhor exige libertação da “razão”, em Atos 9 Paulo ficou cego sob a luz na estrada de Damasco e deixou de se guiar pela razão; o que passou a importar para ele era obedecer e não ter “razão”. Se queremos conhecer o Senhor, é por meio da obediência, não há possibilidade de vivermos por meio da obediência e da “razão”, pois o Senhor não fica dando explicação da Sua vontade.

 

3º – Através do pensamento

Uma das mais importantes passagens da Bíblia é II Co 10.4 6 porque nesses versículos destaca-se a área da vida do homem na qual se exige obediência a Cristo: “Levamos cativo todo pensamento para torna-lo obediente a Cristo”. Isso dá a entender que a rebeldia do homem se encontra no pensamento. É natural que o homem tenha numerosos pensamentos, todos fortalecidos com muita argumentação. Mas chega o dia em que a autoridade de Deus derruba todas as fortalezas de argumentação e isto é uma batalha, pois Satanás tenta nos escravizar a fim de que sejamos questionadores e que nosso pensamento não seja livre para obedecer a Deus.

 

Conclusão:

Quando Deus age, Ele não tem nenhuma obrigação de nos contar os motivos, não precisa consultar ninguém, nem buscar aprovação. Seus motivos são mais altos que os nossos. E todos os que conhecem Deus, obedecem a Ele sem qualquer argumentação. Concluímos que o homem que não reconhece autoridade manifesta sua rebeldia não apenas em palavras, mas também na sua razão e pensamento. Vimos isso como exemplo em Eva e Corá com seus seguidores. Somos seres criados por Deus, vamos ficar nos atrevendo a lhe responder com nossas palavras, razões humanas e pensamentos limitados? Ou vamos entender que Deus exige em toda a Bíblia a obediência e, consequentemente, ter as Suas promessas cumpridas em nossas vidas?

 

Interação:

“A boca fala do que o coração está cheio”. Quais têm sido as suas palavras?
O que devemos fazer quando as “razões” humanas tomam conta de nossos pensamentos?

 

Bibliografia:

Nee, WATCHMAN- Autoridade Espiritual. Tradução Yolanda M. KRIEVIM.
4 Ed./ São Paulo : Ed Vida 2009.
A Bíblia Sagrada Revista e Atualizada
2 Ed./São Paulo. Sociedade Bíblica do Brasil

Estudo elaborado pelo Dc. Newton Lopes

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Ganhando com as Perdas

Estudo XII – ( 15/ 04  a  19/04)  Tema: Ganhando com as perdas Texto Bíblico: Jó 1. 1 – 5 Objetivos : Mostrar que na presença de Deus é possível ganhar com as perdas. Aprender sobre perdas com o exemplo de Jó.   Introdução: Estudar e falar sobre perda é muito difícil, pois ninguém gosta de perder, por… Leia mais

 

Grupos Familiares – Propósito

Estudo XI – (08/ 04 a 13/04/19) Tema: Propósito. Texto Bíblico: Atos 13.36 Objetivos : Mesmo nos momentos de adversidade, você tem convicção do propósito de Deus para sua vida? Davi não foi esquecido mesmo depois da sua morte, seu legado está vivo até hoje. Qual legado vamos deixar para as gerações futuras?   Introdução: O… Leia mais