Grupos Familiares – Aqueles a que Deus delega autoridade

Este estudo tem como objetivo identificarmos que existem três requisitos básicos para uma autoridade delegada e mostrar que para ser autoridade, tem que primeiro sujeitar-se a autoridade dEle

15 de outubro de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo XXXVI  (15/10 a  20/10)
Tema: Aqueles a quem Deus delega autoridade
Texto Bíblico: Romanos 13. 1 e 2.

Objetivos:

  • Identificar que existem três requisitos básicos para uma autoridade delegada.
  • Mostrar que para ser autoridade delegada por Deus, tem que primeiro sujeitar-se a autoridade DEle.

 

Introdução:

Os filhos de Deus não devem apenas aprender apenas a reconhecer a autoridade, mas também procurar aqueles a quem deve obedecer. O centurião falou ao Senhor Jesus : “ …eu também sou homem sujeito a autoridade e com soldados sobre o meu comando” (Mt 8.9). Ele era realmente um homem que reconhecia a autoridade. Atualmente, assim como sustenta todo universo com Sua autoridade, Deus também reúne seus filhos por meio de Sua autoridade. Se algum de Seus filhos é independente, autoconfiante e não se sujeita a autoridade delegada por Deus, então ele jamais poderá realizar a obra de Deus na terra. Este estudo tem o objetivo de mostrar que não existe ninguém a ser autoridade delegada por Deus se não aprender primeiro a sujeitar- se a autoridade. Requisitos básicos para autoridade delegada:

 

1º – Reconhecer que toda autoridade procede de Deus.

Cada pessoa chamada para ser uma autoridade delegada deve se lembrar de que “não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por Ele estabelecidas”  ( Rm 13.1). Aquele que é uma autoridade delegada deve entender que ele representa a autoridade de Deus. Ex. Juíz, policial que executam a lei, os pais que governam o lar e os que tem cargos ou funções na igreja. A autoridade que exercem deve se ao fato de que ocupam uma posição representativa e não porque tem algum mérito mais excelente do que o outro. Não podem criar autoridade por si mesmos, por isso deve se conhecer primeiro a autoridade de Deus para agir em nome dela e depois da ação ficar sob a aprovação de Deus.

 

2º – Negar- se a si mesmo

Até que se saiba qual é a vontade de Deus,  a pessoa deve manter a boca fechada. O que não quer dizer que para  ser usado por Deus não se possa ter nenhuma opinião, nenhum pensamento ou nenhum julgamento. É que a convocação de Deus é para sermos Seu representante e não Seu substituto. Deus não poderá usar como autoridade delegada uma pessoa que é cheia de opinião, de ideias e de pensamentos subjetivos (algo que está baseado na interpretação própria). A vontade tem que ser a de Deus e não a nossa, Deus não consulta o homem e não permite que alguém seja o Seu conselheiro. Negar-se a si mesmo é colocar a vontade de Deus no lugar da nossa.

 

3º – Estar constantemente em comunhão com Deus

As autoridade delegadas por Deus precisam manter intima comunhão com Deus. Não deve haver apenas comunicação, mas também comunhão. Quanto mais perto uma pessoa se encontra do Senhor, mais claramente vê as próprias falhas e não se atreve a falar com tanta firmeza, ela não tem confiança na própria carne: Começa a temer que esteja errada. O temor de Deus não pode ser simulado e que problema se cria quando se julga antes de saber qual é a vontade de Deus. Através da comunhão nosso relacionamento com Deus é estreito e poderemos exercer a função de autoridade delegada de forma agradável a Deus e Deus será visto em nossa liderança. 

 

Conclusão:

Essas são as exigências principais de uma autoridade delegada: Saber que a autoridade vem de Deus e que não temos nada dela em nós mesmos, pois somos apenas representantes. Saber que devemos negar a nós mesmos diante da vontade soberana de Deus. Saber que a autoridade vem de Deus e que devemos viver em comunhão com Ele. Se a comunhão for interrompida, a autoridade também cessa.

 

Interação:

  • Diante do contexto politico do país, como temos que ver a autoridade delegada?

Bibliografia:

Nee, WATCHMAN-  Autoridade Espiritual. Tradução Yolanda M. KRIEVIM.
4 Ed./ São Paulo : Ed Vida 2009.
A Bíblia Sagrada Revista e Atualizada
2 Ed./São Paulo. Sociedade Bíblica do Brasil
Estudo elaborado pelo Dc. Newton Lopes.
Estudo GF XXXVI – Semana 15 a 20 de Outubro

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Revelação: A principal credencial para delegação de autoridade

Estudo XLI – (04/12 – 08/12) Tema: A principal credencial para delegação de autoridade:Revelação Texto Bíblico: Números 12:1-9 Objetivos: Entender que quem é uma autoridade delegada por Deus não deve dar ouvidos a palavras caluniosas. Ter como revelação que a autoridade que está sobre ele é para representar a autoridade de Deus.   Introdução: No Antigo Testamento,nenhuma autoridade… Leia mais