A liberdade de ser Livre

Deus criou o ser humano para a liberdade, por isso, deu a ele o livre arbítrio. Mas a liberdade traz consigo responsabilidades, pois, cada um terá que arcar com as consequências das escolhas que faz.

8 de outubro de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Pr. Filipe Rezende

 

Deus criou o ser humano para a liberdade, por isso, deu a ele o livre arbítrio. Mas a liberdade traz consigo responsabilidades, pois, cada um terá que arcar com as consequências das escolhas que faz. Estamos vivendo um tempo em que as pessoas querem liberdade para fazer tudo o que bem entendem e se apressam para usufruir dela, mas na hora de encarar as consequências, não estão dispostas a fazê-lo, principalmente se suas escolhas lhe trouxerem algum prejuízo, cobrança ou responsabilidade. É por isso que buscam refúgio nos antidepressivos, nas drogas, nas festas regadas a bebida e todo tipo de entorpecentes que lhes permitem ainda que temporariamente esquecer os problemas. Mas não tem jeito. A vida é uma semeadura e “… tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” Gl 6:7.

O que essa geração está buscando na verdade não é liberdade, mas, libertinagem. O que querem é abusar da liberdade, fazendo coisas erradas e irresponsáveis, não reconhecendo os limites e muitas vezes com comportamentos imorais que beiram a devassidão. Outras características muito comuns nessa geração é o desprezo pelos princípios morais e o desrespeito pelos limites e espaço das outras pessoas especialmente àquelas que prezam pelo que é correto. Pois sabem que o comportamento correto, obediente, honesto e verdadeiro além de contrastar com o comportamento libertino, ainda expõem seu estilo de vida miserável, mentiroso e deprimente.

Por mais que queiram negar, essas pessoas muitas vezes são reféns de seus desejos seja em menor ou em maior grau. Elas vivem numa escravidão, ainda que seu orgulho ou sua ignorância não lhes permita enxergar. Algumas são reféns do medo, da dúvida, da incredulidade, do dinheiro, do emprego, do status social, dos filhos, dos pais, das circunstâncias, dos pensamentos, dos hábitos, dos relacionamentos, e tantos outros grilhões que determinam suas ações e seus sentimentos.

Apesar de aparentemente se sentirem “livres” por causa de sua independência financeira e sua rotina rodeada de parentes e amigos, somente a consciência dessas pessoas sabem o quanto o interior delas estão clamando por liberdade. Muitas vezes é um clamor silencioso que se manifesta através de gestos e expressões especialmente em momentos de solidão, quando surgem comportamentos involuntários que só podem ser compreendido por aqueles que já viveram o mesmo cativeiro. Mesmo se sentindo livres e fazendo escolhas o tempo todo, parece que em uma ou outra área de suas vidas o recurso financeiro, a inteligência pessoal e todo esforço que se empreende não são suficientes para os fazerem se sentir em paz.

O que essas pessoas estão precisando é conhecer a verdadeira liberdade que somente Cristo, o nosso libertador, pode compartilhar. É aquela liberdade pronunciada por Jesus e descrita por seu discípulo João: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres“ . Jó 8:36.

Aqueles que forem capazes de compreender a profundidade de João 8:36 poderão experimentar uma vida abundante cada área de sua existência. Pois a liberdade que Jesus está propondo aqui não é só em relação a questões espirituais, mas envolvem as questões emocionais, físicas e naturais. Biblicamente entendemos que liberdade é ter poder de escolha e ter domínio sobre suas vontades.  Também entendemos que a liberdade que Cristo nos oferece é moderada e anda de mãos dadas com a responsabilidade, com o respeito, com a justiça e com a santidade. Ela é totalmente diferente dessa liberdade proposta pelo mundo.

Alguém já disse que: “A liberdade sem moderação vira libertinagem e precipitam a rebeldia e a desordem.” Deus deseja que cada um de nós desfrute a vida que Ele nos deu de forma abundante e plena. E foi por isso e para isso que ele nos deu liberdade.  Ao nos conscientizarmos disso, que possamos lembrar também do precioso conselho que o apóstolo Paulo escreveu para os irmãos da província da Galácia:  “Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; ao contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor.” Gálatas 5:13
 
Um beijo no coração de todos!
 Pr. Filipe Rezende

Pr. Filipe Rezende, casado com Marcela e pai de Henrique, graduado em teologia pela FACETAN e Pós graduando em psicologia pastoral é pastor do Ministério de casais e famílias no PVN de Vilar dos Teles.

Notícias relacionadas

 

Devocionais – A Mensagem Essencial do Natal

Nessa época do ano dizemos muito: “Feliz Natal”. Prefiro isso ao invés de: “Boas Festas”, mas não brigo por isso. Pelo contrário, o que mais quero é ser amável. Afinal, o natal não é sempre uma época feliz para todo mundo. Para alguém que perdeu o trabalho, essa não é a época mais feliz do… Leia mais

 

Devocionais – Como Você Demonstra o Seu Amor?

Alguma vez você já se sentiu fracassado espiritualmente? Se a resposta for sim, você está em boa companhia. Até mesmo o apóstolo Pedro se sentiu assim depois de negar ao Senhor. Quando Jesus disse aos discípulos que eles o abandonariam na hora de sua maior necessidade, Pedro insistiu que ele nunca faria isso. Mas Jesus… Leia mais