Grupos Familiares – Autoridade Espiritual

Este estudo tem como objetivo entendermos que no reino de Deus lidamos com Sua autoridade direta e indireta e reconhecermos que Ele delega (concede) autoridade aos homens para que estes o representem

23 de julho de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Estudo XXIV – Autoridade Espiritual
Tema:​ Todos devem obedecer à autoridade delegada.
Texto: ​Romanos 13.1
Objetivos:

  • Entender que no reino de Deus lidamos com Sua autoridade direta e indireta.
  • Reconhecer que Deus delega (concede) autoridade aos homens para que estes o representem.

Introdução

Deus é a fonte de toda autoridade no universo e levando-se em consideração que todos que exercem autoridade no governo, sociedade, na família e igreja foram por Deus instituídos, então, toda autoridade delegada por Ele representa a sua autoridade. Deus estabeleceu esse sistema de autoridade a fim de se manifestar. Onde quer que as pessoas encontrem autoridade, ali encontram a Deus.

 

1- No mundo 1 Pe 2:13, 14

No jardim do Éden o homem conhecia a Deus por meio da sua presença. Hoje, entretanto, os homens raramente o encontram diretamente neste mundo (isso, naturalmente, não se aplica àqueles que na igreja, vivem no espírito: Jo 4:14). Hoje, onde Ele mais se manifesta é em seus mandamentos. Somente os tolos, como os lavradores da parábola de Mc 12:1-9, precisam da presença pessoal do proprietário da vinha para obedecer. Não foram os servos e o filho dele enviados antes como representantes? Se realmente aprendermos a obedecer a Deus, não teremos nenhum problema em reconhecer sobre quem repousa a autoridade (delegada) de Deus. Mas, se apenas reconhecermos a autoridade direta de Deus, possivelmente violamos mais da metade de sua autoridade. Não podemos escolher entre a autoridade direta de Deus e sua autoridade delegada, ”visto que não há autoridade que não venha de Deus”. Somente uma única vez vemos os apóstolos declararem que importa obedecer a Deus e não aos homens (Atos 5:29): o motivo foi que os sacerdotes (autoridade espiritual delegada) queriam proibi-los de pregar o evangelho, o que não poderiam deixar de fazer. Nem o Senhor (Jo 19:11), quando esteve diante de Pilatos, governador romano (autoridade governamental delegada) deixou de se submeter à sua autoridade.

 

2- Na família – Ef 5:22, 28; 6:1

Deus estabeleceu sua autoridade no lar, mas muitos de seus filhos não prestam atenção suficiente a esse aspecto. Esta epístola de Efésios, que é considerada uma das epístolas mais espirituais, não ignora esse assunto. Menciona, especificamente, a sujeição no lar, pois sem ela será impossível servir a Deus. Deus estabeleceu o marido como autoridade delegada de Cristo, com a mulher no papel semelhante ao da igreja (submissão). Seria difícil para a mulher ficar sujeita ao marido se não visse a autoridade delegada que lhe foi concedida por Deus. Ela deve entender que o ponto principal é a autoridade divina, não o marido. Os filhos devem obedecer a seus pais no Senhor (Ef 6:1) porque Deus estabeleceu os pais como autoridade. “Honra teu pai e tua mãe (…) para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”. Dos dez mandamentos, esse é o primeiro que contém uma promessa específica.

 

3- Na igreja – 1Ts 5:12-13

Deus estabeleceu autoridades na igreja como apóstolos, pastores, diáconos e auxiliares (que é o nosso contexto ministerial). Interessante que Deus não teve receio de delegar essa autoridade aos homens, se houver algum erro por parte de quem exerce autoridade é Deus que tratará: Primeiro através de quem é o líder da igreja para que haja restauração, e se não quiser se submeter, será com o próprio Deus de uma forma direta. Em Nm 16, Corá, Datã e Abirão questionaram a liderança de Moisés e inflamaram o povo contra ele, levando Deus a defender violentamente sua autoridade. Aos olhos de Deus aqueles que rejeitam seus servos rejeitam-no pessoalmente. É impossível que ouçamos a palavra de Deus sem ouvir as palavras de quem Ele delegou autoridade.

 

Conclusão

O princípio básico de todas as leis de Deus é punir o mal e recompensar o bem. Observamos que todas as autoridades foram instituídas e ordenadas por Deus, e elas devem ser obedecidas no mundo, na família e na igreja. Não podemos pensar que são simplesmente homens sujeitando-se a outros homens, mas, é perceber que esses outros homens são autoridades delegadas por Deus. Podemos concluir então que, se estamos sujeitos à autoridade direta de Deus, então também devemos ficar sujeitos a Suas autoridades delegadas. Os obedientes só precisam obedecer.

 

Interação
1- “ Honrar pai e mãe…”. Em sua opinião, esse mandamento se aplica apenas aos pais que cumprem bem o seu papel?
2- Obedecer a autoridade delegada por Deus também inclui aquelas que consideramos “injustas”?

Bibliografia:
Nee, Watchman – Autoridade Espiritual. Tradução Yolanda M.Krievim..4ª Ed./São Paulo :Ed Vida 2009.
A Bíblia Sagrada Revista e Atualizada. 2ª Ed./São Paulo. Sociedade Bíblica do Brasil
Arquivo PDF para download: Estudo GF XXIV – Autoridade Espiritual 23 a 28 julho 2018

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Aqueles a que Deus delega autoridade

Estudo XXXVI  (15/10 a  20/10) Tema: Aqueles a quem Deus delega autoridade Texto Bíblico: Romanos 13. 1 e 2. Objetivos: Identificar que existem três requisitos básicos para uma autoridade delegada. Mostrar que para ser autoridade delegada por Deus, tem que primeiro sujeitar-se a autoridade DEle.   Introdução: Os filhos de Deus não devem apenas aprender apenas a reconhecer… Leia mais

 

Grupos Familiares – Princípios do Reino para a cidadania

Estudo XXXV (08/10 a 13/10/18) Tema: Princípios do Reino para a cidadania Texto Bíblico: Mateus 22.15-22 Objetivos: Apresentar princípios ensinados por Jesus no texto. Analisar as responsabilidades do cristão enquanto cidadão da terra.   Introdução: O texto aborda questões políticas (imposto devido a César, imperador romano) X questões religiosas (Reino de Deus). A pergunta que se faz… Leia mais