Grupos Familiares – A Maratona Cristã

Este estudo tem como objetivo compreendermos que fazemos parte de uma “corrida” e identificarmos o pecado como grande obstáculo da corrida

10 de julho de 2018   /   Categoria:   /   Escrito por: Comunicação

 

Grupo Familiar
Estudo XXII (09/07 a  14/07)
Tema: A maratona cristã 
Texto Bíblico:  Hebreus 12.1-3

Objetivos:

  • Compreender que fazemos parte de uma “corrida”.
  • Identificar o pecado e o embaraço como grandes obstáculos da corrida.

Introdução:

       As competições olímpicas eram práticas apreciadas e admiradas na cultura greco-romana. Escritores bíblicos como Paulo e o autor da carta aos Hebreus fizeram constante menção das atividades esportivas em seus escritos. O autor utiliza no texto acima a figura de um estádio lotado, do espirito da dinâmica de uma competição olímpica, uma ilustração para a vida cristã. Após relatar a luta e a vitória dos heróis e heroínas da fé do Antigo Testamento, o autor de Hebreus direciona o olhar de seus leitores para o Campeão dos campeões: Jesus. Ele nos mostra como aqueles campeões e, principalmente, Jesus, venceram e porque os leitores do texto deveriam correr a corrida cristã. O autor faz analogia à maratona e compara os heróis da fé como sendo os expectadores, testemunhas que nos incentivam e nos motivam a continuar e a olhar para Jesus pois Ele  venceu na corrida. Suportou ofensas, injúrias e nos deixou uma lição: Nessa corrida, não desanimem!  Muitos obstáculos surgirão, mas precisamos permanecer firmes. O estudo nos mostra dois obstáculos que encontramos nessa corrida:

 

1º – O pecado

O texto  nos ensina que devemos nos soltar das amarras do pecado. Desta  forma,  ficaremos livres para correr a carreira da fé. “O pecado que tão de perto nos rodeia” tem, no texto original, o sentido de prisão e cadeia. O pecado nos aprisiona, nos para, e quando estamos parados, não podemos correr. O autor nos alerta para não pecarmos, pois o pecado quer nos parar e nos impedir de chegarmos à nossa vitória. O pecado nos afasta da vontade de Deus e nos tira do caminho. Ele é um grande obstáculo que pode nos fazer desistir da corrida.

 

2 º – O embaraço

O embaraço é algo que pode impedir que caminhemos ou corramos com a fluência necessária. O termo, no original grego, significa “peso”. Em maratonas, o corredor precisa correr com roupas leves e confortáveis. Na Grécia antiga os corredores corriam nus (em sua cultura, o fato de exibir o corpo não tinha conotação sexual). O autor aos Hebreus utiliza essa ilustração para nos ensinar que não devemos carregar peso na corrida da nossa vida cristã.  Podemos considerar várias coisas como embaraços e pesos que atrapalham nossa chegada ao alvo: Nossas “razões”, nossas vontades, nosso ego, o uso exagerado ou indevido das redes sociais… Esses são “pesos excessivos” em nosso equipamento de corrida.

Alguns relacionamentos também podem se tornar pesos que nos impedem de correr a carreira que nos foi proposta. O texto de Atos 15.35–40 relata sobre dois homens de Deus (Paulo e Barnabé), lideres que discordaram a respeito de algo e se desentenderam. Cada um precisou seguir para direções diferentes, pois se permanecessem juntos um se tornaria embaraço para o outro. Em II Timóteo 4.14–18 Paulo escreve para Timóteo dando algumas orientações. Paulo alertou Timóteo a se acautelar de Alexandre, o latoeiro, que havia resistido muito às suas palavras e que lhe havia feito muito mal, o qual receberia a justa retribuição do Senhor pelas suas obras. Alexandre se tornou um embaraço.  Precisamos entender o ensinamento de Paulo, no v. 16 ele deixa claro que sua justiça não viria de homens, mas de Deus. Ele manda que entreguem tudo aos cuidados do Senhor. O apóstolo fez questão de afirmar que o Senhor esteve ao seu lado durante todo o seu ministério e que lhe havia fortalecido para que pudesse pregar o evangelho a todos. Esses são exemplos de relacionamentos que se tornaram embaraço. Contudo, o apóstolo buscou em Deus sabedoria e discernimento e não permitiu que isso atrapalhasse sua carreira, mas confiou no Senhor e Deus nunca o abandonou.  Assim também nós, não podemos deixar que nenhum embaraço atrapalhe nossa caminhada. Temos que confiar na justiça do Senhor, pois Ele nunca falhará.  Aprender Dele, pois Seu fardo é leve (Mt 11.28-30) e prosseguir para o alvo com perseverança.

 

Conclusão:

Fazemos parte de uma corrida, temos um alvo a alcançar. A linha de chegada está à nossa espera. Somos vencedores! Todo corredor estuda o trajeto a fazer e está ciente dos obstáculos que irá enfrentar. Em nossa corrida da vida, o pecado e o embaraço tentam nos parar, nos fazer desistir, mas o Senhor nos diz: “Não  desanimem! Tenham vida! Retomem a carreira e voltem a correr”. O maratonista não para. Ele se cansa e, às vezes, até diminui a velocidade, mas ele continua, ele não para.  A vontade de Deus é que continuemos no caminho.  Salmos 37.24 diz “Se cair não ficará prostrado…”. Nessa carreira, nessa corrida, o Senhor está conosco. Ele nos toma pela  mão e nos coloca de pé. Vamos prosseguir! Vamos avançar! Vamos correr para o alvo!

     

Interação:

  • O que tem sido um peso, um embaraço em sua vida que tem te impedido de desenvolver sua corrida cristã?
  • Como lidar com os obstáculos que surgem para nos impedir de perseverar na corrida? 

Bibliografia: Palavra ministrada pelo Pr. Cristiano Carvalho na Ceia do Senhor na manhã de 08/07/18.
Arquivo PDF do estudo para download: Estudo GF XXII (09 a 14 de Julho) Maratona
>Veja todas as fotos do nosso culto de Santa Ceia em nossa galeria

Notícias relacionadas

 

Grupos Familiares – Desista de desistir!

Grupo Familiar Estudo XXIII (16/07 a 21/07/18) Tema: Desista de desistir! Texto Bíblico: Lucas 24.13 – 35 Objetivos: Entender que desistir não pode fazer parte de nossas escolhas. Reconhecer que, no meio das lutas, o Senhor nos capacita para permanecer.   Introdução: Lucas inicia esse relato com as palavras “nesse mesmo dia”.  Para nós seria o… Leia mais

 

Grupos Familiares – Paciência

Estudo XXI  (02/07 a  07/07/18) Tema:  Paciência   Texto Bíblico:  Sl 40.1 Objetivos: Entender a “paciência” que Deus espera de nós. Compreender que a paciência cumpre propósitos. Introdução:        Nós, seres humanos, somos muito imediatistas. Queremos  respostas imediatas, tudo para agora, sem considerar as consequências futuras.  Mas a palavra nos diz que Deus… Leia mais